Negócios
Postada por:  Jardel Viana,  em  20/02/2018 às 10h55
Link:
Gasolina na refinaria é 1/6 do preço; impostos chegam a 45%
A estatal iniciou, ontem, uma nova forma de divulgação dos reajustes, divulgando o preço nas refinarias

20/02/2018 às 10h55
O peso de impostos e tributos representa quase metade do preço da gasolina vendida ao consumidor, chegando a 45% do valor cobrado nas bombas. Deste percentual, a maior parcela é de impostos estaduais, 29% de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), e 16% de tributos federais; Contribuição de Intervenção de Domínio Econômico (Cide), PIS/Pasep e Cofins.

O restante pago pelo consumidor é referente a “Realização Petrobras”, que representa o preço da refinaria sem impostos (28%), “Distribuição e Revenda” (14%) e ao custo do etanol anidro adicionado à gasolina (13%). Assim, o preço da gasolina nas refinarias foram responsáveis por apenas por cerca de 1/6. De acordo com a estatal, a composição da gasolina comercializada nos postos, chamada de gasolina “C” é de 73% de gasolina “A” (sem etanol anidro) e 27% de etanol anidro.

Diferente do que ocorre com o preço da gasolina, o maior peso no preço do diesel é da chamada “Realização Petrobras”, que corresponde a 49% do valor cobrado na bomba. Em seguida vêm os tributos, com 30%, sendo 16% de ICMS e 14% de Cide, PIS/Pasep e Cofins. Os demais ítens da composição são: “Distribuição e Revenda” (15%) e o “Custo Biodiesel” (6%). O diesel nos postos leva 8% de biodiesel. 

“Achamos esse percentual da carga tributária extremamente elevado”, diz o consultor na área de petróleo e gás, Bruno Iughetti. “Somos partidários de que o governo utilize a Cide como um colchão que pudesse variar de acordo com as alterações dos preços no mercado internacional de petróleo e com a variação cambial, como forma de estabilizar o preço ao consumidor. Isso poderia compensar os impactos negativos nos cofres do governo e do consumidor”, diz. “Mas ao que parece ainda estamos longe de chegar ao ideal”.

Em agosto do ano passado, o Sindicato do Comércio Varejistas de Derivados de Petróleo do Estado (Sindipostos-CE) chegou a lançar uma campanha contra o peso dos tributos sobre os combustíveis. Na ocasião, os representantes da categoria destacaram as dificuldades em acompanhar a volatilidade nos valores aplicados na compra do combustível junto à Petrobras.

A reportagem tentou entrar em contato com o Sindipostos ontem, mas não obteve retorno até o fechamento desta edição. 

Reajuste

A Petrobras colocou em prática ontem novo modelo de divulgação dos preços dos combustíveis, anunciado antes do Carnaval. Ao invés dos percentuais de reajustes diários, a empresa divulga os preços da gasolina e do diesel em reais por litro. Em nota, a companhia defende que foi responsável por apenas um sexto do aumento da gasolina desde outubro de 2016, quando anunciou nova política de preços. A gasolina é vendida pela estatal a R$ 1,5418 por litro, alta de 1,82% em relação ao preço vigente na sexta. O diesel é vendido a R$ 1,7369, alta de 1,5%. A empresa diz que os valores representam uma média e não consideram nenhum imposto.


Por Diário do Nordeste








19/06/2018
Bispo comenta empenho da Igreja católica no diálogo ecumênico
19/06/2018
Prefeituras ainda buscam auxílio por desabastecimento
19/06/2018
Dois grupos prioritários ainda não atingiram meta de vacinação contra gripe...
19/06/2018
10 anos de Lei Seca: número de fortalezenses que dirigem embriagados cai 21...
08/06/2018
Em Tianguá, jovem de 16 anos morre após descarga elétrica conduzida por cel...

 

 

RÁDIO GEM'S EDUCATIVA FM 103,5 MHz
Rua. Nossa Senhora da Conceição 147, Reriutaba - CE
(88) 3637-2085 - (88) 9-9939 8209

 Online Agora:

  19

 Visitas:

  4859215